Quem sou eu

Minha foto
Um louco apaixonado pelas palavras da vida. Cada dia mais nú, cada dia mais cru. Até virar pó e cinzas...

sábado, 30 de outubro de 2010

Sexta feira, 29 de outubro de 2010. Um dia. Em seu último minuto cheguei ao aeroporto. Quase duas horas se passaram e eu ainda estava lá. Pensando. Pensando. Pensando. E vendo o meio mundo de gente que desembarcava. O que me fez pensar em escolhas, mais precisamente na minha relação com a diversidade. Senti que por um bom tempo admirei muito e experimentei pouco.

Marquei mentalmente minha saída para 16hrs. O dia foi bastante... mazelado - para descrever como um bom recifense. Não queria ir ao banco, pegar um ônibus, descer na 13, andar que só a porra - com o tempo chuvoso -, depois voltar andando o mesmo percurso... não, sem contar que sacar dinheiro é motivo pra gastar. "Vou de bike. É pra se molhar? Eu vou me molhar muito."

Cheguei no Muda ensopado. Direto para o banho. Duas horinhas correram voando... an?(?)? E começa o espetáculo; ontem para seleto grupo de 15 ou 16 pessoas que viram um espetáculo redondo - à parte um pequeno deslize. Tomei um banho, peguei a bike e voltei percorrendo o velho caminho do mau: Muda, Central, Recife Antigo. Saí ileso do primeiro, também do segundo, mas no terceiro... Morri no Novo Pina. Mas cá entre nós, Novo Pina é apelação, sempre tem alguém conhecido. Vários nesta ocasião. Sentei rapidinho, claro. "Xeru, xeru e xau." Tinha que voltar, era tarde e o Cais José Estelita me esperava silencioso. Fui sem as mãos até quase o final. Não consegui, minhas pernas cansaram.

Cheguei no aeroporto meio atordoado, tinha muita gente. Se agora no feriado estava daquele jeito, imagino o que vai ser no verão, final do ano. Ui. E o carnaval? Credo. Bom, mas nem todo mal vem só para o mal. Aí que começaram os meus pensamentos sobre as escolhas. Uma da manhã e aquele troço funcionando como um shopping, a todo o vapor. Me deu fome, é claro. Fui no Bobs, lá em cima. "Será que está funcionando?" Como não? Por que lá as coisas são o triplo do preço? Sweet, comer coxinha. Acabei comendo uma coxinhazinha, um mega pedaço de bolo crocante de chocolate com morango e um copão geladíssimo de coca-cola. Eu que só queria comer um hamburguer com batata frita e refigerante...

Aquelas pessoas me fizeram pensar no que elas seriam, no que seriam comigo e no que eu seria com elas. São tantos universos quanto possibilidades. E quantas escolhas eu fiz hoje? Quantos universos criei? Será que somei a este meu universo? Depositei energia nos lugares certos? Quanto tempo eu levaria para fazer uma escolha se em todos os casos parasse para pensar em tudo isso?